A Importância da Gestão Ambiental e da Qualidade do Agronegócio Familiar do Leite na Região de Viçosa/MG: Análise em Propriedades Assistidas pelo PDPL – RV.

Postado por Proega Proega em quinta, setembro 13, 2012

A Importância da Gestão Ambiental e da Qualidade do Agronegócio Familiar do Leite na Região de Viçosa/MG: Análise em Propriedades Assistidas pelo PDPL – RV.


 
AZIZ GALVÃO DA SILVA JR. E ARTUR FALCETTE.

O agronegócio do leite está entre os mais importantes do Brasil, atuando como fator gerador de incremento do Produto Interno Bruto (PIB) e de divisas. Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentos (FAO), no ano de 2010, o Brasil ocupou o 5º lugar no ranking dos maiores produtores de leite do mundo. Minas Gerais, por sua vez, alcançou a classificação de maior estado produtor, sendo a produção mineira caracterizada basicamente por unidades familiares de produção (Lei nº 11.326). Dessa forma, constata-se a importância do agronegócio do leite para o Brasil, assim como da agricultura familiar, em especial para a atividade leiteira.

A qualidade do leite ofertado pela indústria depende diretamente da qualidade com que este sai da propriedade rural. Sendo assim, gerenciar a qualidade nas propriedades produtoras de leite e apoiar o produtor no sentido de adequar seu produto à demanda agroindustrial é de extrema importância para se buscar o desenvolvimento do agronegócio sustentável de qualidade. 

Para que esta análise fosse realizada, foram utilizadas as teorias de gestão da qualidade, gestão ambiental e sustentabilidade, que puderam oferecer um panorama da qualidade do agronegócio familiar do leite na Zona da Mata de Minas Gerais, uma das mais importantes regiões produtoras do estado.

Por meio de um estudo de caso, três propriedades integrantes do Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira da Região de Viçosa (PDPL-RV) foram selecionadas, observando-se alguns critérios pré-estabelecidos, como tamanho da propriedade, número de animais e outros. O programa supracitado existe na Universidade Federal de Viçosa desde 1988 e é uma parceria UFV – Nestlé – DPA (Dairy Partners America) que busca dar assistência técnica gratuita a pequenos produtores de leite da região de Viçosa – MG.

As propriedades receberam notas e foram classificadas pela equipe do Departamento de Economia Rural, buscando-se avaliar o nível em que se encontram em relação à adequação à qualidade do processo produtivo e às demandas da legislação ambiental. Com isso, foi possível entender os principais problemas da pecuária de leite da região.

A análise mostrou que, para as propriedades estudadas, no que se refere à adequação às normas existentes e às atitudes gerenciais recomendadas, o produtor deve buscar um nível maior de desenvolvimento. O mesmo ocorre quanto ao gerenciamento da qualidade das propriedades, visto que nenhuma alcançou o conceito “ótimo”. Há, ainda, muito a ser melhorado nessas propriedades, o que pode ser feito através de simples ações que contribuam para um resultado significativo, como por exemplo, maior produtividade.

Não pode-se ignorar os avanços da consciência ambiental do produtor e das atitudes tomadas em relação à qualidade. Contudo, faz-se necessária maior orientação aos produtores quanto ao que deve ser feito para que se possa alcançar um padrão que atenda às atuais necessidades do mercado, caminhando, assim, ao encontro da sustentabilidade.

Como pôde ser percebido, a falta de assistência pública e gratuita prejudica as qualidade e a sustentabilidade do agronegócio familiar do leite, o que reduz as margens do produtor. Programas como o PDPL-RV buscam de alguma forma, reduzir o impacto causado pelo abandono de alguns produtores pela assistência pública. Contudo, programas de assistência com viés estritamente técnico, sozinhos, não são capazes de suprir as necessidades de uma agricultura familiar frágil e sem poder de mercado, que deve buscar nas ferramentas gerenciais seu fortalecimento no agronegócio brasileiro.


 

REFERENCIAS


ALVIM, R. S.; MARTINS, M. C.; MUSTEFAGA, A. P. S. Desempenho da cadeia produtiva do leite no Brasil: visão dos produtores. In: VILELA, D. et al. (Ed.) O agronegócio do leite e políticas públicas para o seu desenvolvimento sustentável. Juiz de Fora (MG): Embrapa Gado de Leite, 2002. p. 195-204.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14900: Sistema de gestão da análise de perigos e pontos críticos de controle: segurança de alimentos. Rio de Janeiro, 2002.

BABBIE, E. Métodos de Pesquisas de Survey. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003, 519 p.

BUSCHINELLI, C. C. A. (1992). Impacto ambiental dos resíduos agropecuários e agroindustriais na alimentação animal. In: SIMPÓSIO “UTILIZAÇÃO DE SUB-PRODUTOS AGROINDUSTRIAIS E RESÍDUOS DE COLHEITA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES”, São Carlos, 1992. Anais... São Carlos, SP, Embrapa - Uepae de São Carlos, SP, p.45-68.

CAGNIN, C. H. Fatores relevantes na implementação de um sistema de gestão ambiental com base na Norma ISO 14001. Florianópolis. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 1999

CALLADO, A. L. C. et al. Políticas e práticas da gestão ambiental: um estudo de caso comparativo. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE GESTÃO EMPRESARIAL E MEIO AMBIENTE, IX, 2007, Curitiba. Anais eletrônicos... Curitiba: 2007. Disponível em: http://engema.up.edu.br/arquivos/engema/pdf/PAP0306.pdf. Acesso em: 15 mar. 2012.

CAMPOS, A. T. Análise da viabilidade da reciclagem de dejetos de bovinos com tratamento biológico, em sistema intensivo de produção de leite. 1997. 161f. Tese (Doutorado em Agronomia)- UNESP, São Paulo 1997.

CAMPOS, V. F. TQC: controle de qualidade total (no estilo japonês). Belo Horizonte: Fundação Christiano Otoni, 1992.

DANHKE, G. L. Investigación y comunicación. Ciência Social. México. McGraw-Hill, 1989.

DE ZEN, S. et al. Pecuária de corte brasileira: impactos ambientais e emissões de gases do efeito estufa (GEE). Universidade de São Paulo, Departamento de Economia, Administração e Sociologia, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Piracicaba. CEPEA/ESALQ. 2008.

FRANZEN, E. A. Programa de qualidade 5S. São Paulo, Qualitymark, 1998. Disponível em: <http: www.ptnet.com.br/5sensos/> Acesso em: 02 fev. 2012.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA -  IBGE, Censo Agropecuário 2006. Agricultura Familiar. Primeiros resultados. Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação,2009. Rio de Janeiro, p.1-267, 2006

KARKOTLI, G. R.. Responsabilidade social: uma estratégia empreendedora. 2004.13f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

LIMA, L. S. Modelo de sistema de gestão da qualidade para propriedades rurais leiteiras. 2004. 159f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, 2004.

QUEIROZ, R. L. S.; QUEIROZ, E. S. A contabilidade como um instrumento de gestão ambiental e empresarial, e sua contribuição à melhoria da qualidade de vida planetária. Revista Pensar Contábil do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, n. 9, p.78-83, Ago./Out. 2000.

SCALCO, A. R. Gestão da qualidade da cadeia de produção de leite: diagnóstico e proposições de melhorias. São Paulo: Fundunesp, 2005.

SILVA, C.E.S.; SILVA, D.C.; NETO, M.F. & SOUSA, L.G.M. (2001) 5S – Um programa passageiro ou permanente? Anais do XXI Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2001. Associação Brasileira de Engenharia de Produção – ENEGEP. Salvador, Bahia.

TOLEDO, J. C. Gestão da qualidade na agroindústria. In: BATALHA, M. O. Gestão agroindustrial. São Paulo : Atlas, 1997. vol. 1, cap. 8.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Nova Iorque. Bookman, 2010.

ZACHARIAS, O. A qualidade começa com uma boa vassourada. Revista Banas Qualidade, pag. 72, dezembro 2009 /janeiro 2010. Disponível em: <http://quality.eng.br/img_diversos/artigo_54.pdf> Acesso em: 15 de março de 2012.

PAGE, T. Conservation and Economic Eficciency: An approach to Materials Policy. John Hopkins University Press, Baltimore, MD.

World Commision on Environment and Development (Bruntland Comission). Oxford University Press, Oxford, 1987.

SOLOW, R. On the Intergenerational Allocation of Natural Resources. Scandinavian Journal of Economics 88(1), p.141-149.

PERMAN, R. Natural Resouce and Envoronmental Economics. Harlow: Pearson Education Limited, 2011. cap. 2. 


Tags: "gestão ambiental" "gestão da qualidade" "agronegócio familiar" 
blog comments powered by Disqus

Outros Artigos para Download

Programa Mais Alimentos .pdf Programa Mais Alimentos .pdf
Tamanho : 246,019 Kb
Tipo : pdf
COPAS - Cooperativa de São Sebastião - DF.pdf COPAS - Cooperativa de São Sebastião - DF.pdf
Tamanho : 467,343 Kb
Tipo : pdf
Agriturismo_como_modelo_de_negócio.pdf Agriturismo_como_modelo_de_negócio.pdf
Tamanho : 180,458 Kb
Tipo : pdf
blog comments powered by Disqus

Crie um site gratuito com o Yola